Monthly Archives: Maio 2014

Fórum MAIO

As crianças e as mentiras

As crianças recorrem muito frequentemente à mentira, ou seja, a alteração da realidade é quase vital para elas. Estas crianças usam a mentira para que os seus pais, principalmente a mãe, não possam ver o seu mundo interno, que para elas é muito próprio e pessoal.

No fundo, a mentira tem uma função protetora, por exemplo, uma criança que traz para casa um teste com nota negativa e que tenta esconder ou modificar essa mesma nota, está a tentar evitar de sofrer castigos. Um outro exemplo poderá ser a invenção, por parte da criança, que tem uma família rica, com uma casa enorme com piscina, para que possa ser aceite no seu grupo de amigos. A discriminação do verdadeiro/falso e verdade/mentira evolui progressivamente ao longo do desenvolvimento da criança.

Antes dos seis anos de idade, a mentira e a brincadeira são um pouco confundidos, podendo a criança mentir, mas sem essa mesma intenção. Entre os seis e os oito anos, o verdadeiro e o falso já começam a ser distinguidos, mas a mentira ainda não é encarada como tal. Após os oito anos de idade, a mentira é realmente intencional.

É importante que o bom exemplo venha dos pais, isto porque existem pais que usam os filhos para mentirem a outros adultos. Por exemplo, quando o telefone toca, mandam os filhos atender e dizerem que não estão. Ora, esta atitude por parte dos pais só ajuda a que as crianças pensem que a mentira não tem mal nenhum. Assim, consequentemente, poderão seguir o exemplo dos pais e começarem com pequenas mentiras, para não sofrerem castigos e para se livrarem das responsabilidades dos seus comportamentos. Por exemplo, um aluno que não fez os trabalhos de casa, poderá dizer à professora que teve de ir a uma consulta depois das aulas e que acabou por não ter tempo para os fazer.

A partir do momento em que os pais se começam a aperceber das mentiras dos filhos, torna-se fundamental a confrontação com a criança, para que esta perceba que este tipo de comportamento não é o mais correto. Os pais devem explicar à criança a diferença entre a realidade e a mentira e as desvantagens/consequências que uma simples mentira pode trazer. Quando é cedido à criança um espaço onde ela pode exprimir os seus pensamentos, sentimentos e o porquê das mentiras, esta sente-se mais confiante e compreendida. Os grandes castigos ou os grandes sermões podem deixar a criança triste e com a sua autoestima em baixo.

 

Este mês proponho-vos uma reflexão/debate sobre o tema das MENTIRAS NA INFÂNCIA, pesquise ou identifique maneiras de lidar com esta situação ou partilhe a sua opinião/experiência.

Para participar basta clicar em INSERIR COMENTÁRIO, não esquecendo de indicar o seu nome e turma para que o seu contributo seja avaliado. Os vossos comentários serão primeiro sujeitos à aprovação do professor pelo que podem não ficar imediatamente disponíveis.

Cotação: 20% da média da Unidade em estudo.

Aguardo as vossas participações com expectativa, o vosso contributo é muito importante para o sucesso deste fórum!

Rita Lourenço

INSERIR COMENTÁRIO