A importância da música no desenvolvimento infantil

baby playing with musical toy

A música está a ser introduzida na educação de crianças em idade pré-escolar devido à importância que representa no seu desenvolvimento intelectual, sensorial, no desenvolvimento da linguagem e desenvolvimento motor.

A música é um elemento fundamental nesta primeira etapa do sistema de ensino. A música ajuda a criança a alcançar a autonomia nas suas atividades diárias, a cuidar de si mesmo e do ambiente, e a expandir seu mundo de relações. A criança começa a ser capaz de integrar-se ativamente na sociedade.

Benefícios da música no desenvolvimento das crianças:

1. Segurança: dá segurança emocional, confiança, porque as crianças aprendem a ouvir música imersos numa uma atmosfera de apoio, cooperação e respeito mútuo.

2. Aprender: a fase de alfabetização das crianças é mais estimulada com a música. Através de canções infantis, nas quais as sílabas são rimados e repetitivas, e acompanhadas por gestos que são feitos para cantar, a criança melhora a sua fala e entende o significado de cada palavra. Assim, há uma alfabetização mais rápida.

Quem estuda música tem melhor desempenho a matemática

Uma investigação da Universidade de Aveiro concluiu que as crianças que estudam música apresentam melhores desempenhos a Matemática comparativamente às que não têm. O estudo concluiu que quanto maior for o número de anos de aprendizagem musical melhor é o desempenho matemático, nomeadamente na área da Geometria.

A investigação desenvolvida por Carlos dos Santos Luiz, no âmbito da tese de Doutoramento realizada no Departamento de Educação da UA, destaca o facto de a associação entre aprendizagem musical e performance matemática permanecer evidente, mesmo após a remoção das diferenças entre alunos ao nível da inteligência e do nível socioeconómico.

“Demonstra-se, assim, a aptidão preditiva das lições de música no desempenho matemático sem a interferência destas duas variáveis potenciadoras do desempenho académico”, assinala.”

Carlos dos Santos Luiz diz que “no âmbito da neurociência da música, as tecnologias imagiológicas e eletrofisiológicas permitem verificar diferenças anatómicas e fisiológicas entre músicos e não músicos ao nível do encéfalo”, sendo a aprendizagem musical precoce “o principal fator para a maioria das diferenças verificadas”.

Outro estudo levado a cabo estudo levado a cabo pela Northwestern University (NU), nos Estados Unidos, refere que as aulas de música na infância podem ser benéficas no desenvolvimento do cérebro na vida adulta, particularmente em funções de audição e processamento complexo de sons.

3. Concentração: a música também é benéfica para a criança aumentar a sua capacidade de concentração, e melhorar a sua capacidade de aprendizagem da matemática. A música é matemática pura. Além disso, facilita às crianças a aprendizagem de outras línguas, aumentando a sua memória.

4. A linguagem corporal: com a música, a linguagem corporal da criança é mais estimulada. Elas usam novos recursos para adaptar o seu movimento do corpo aos ritmos de diferentes, contribuindo assim para o reforço do controle rítmico de seu corpo. Através da música, as crianças podem melhorar a sua coordenação e combinar uma série de comportamentos.

A música tem o dom de unir as pessoas. A criança em contacto com a música aprende a conviver melhor com as outras crianças, a estabelecer uma comunicação mais harmoniosa.

Reflita sobre o assunto e se desejar recorra a exemplos de situações concretas para ilustrar a sua opinião.

Esta atividade de Fórum permite debater e abordar novas ideias, visa o desenvolvimento e a discussão de temas atuais, relacionados com os temas propostos nas Unidades, no âmbito da formação.

Participe e desenvolva, no seu ponto de vista o tema exposto a debate. Se desejar, apresente exemplos representativos do que pretende ilustrar. Pode ainda, comentar as participações dos colegas.

A participação de cada formando não deve exceder a pág. A4 e deve ser enviada até ao final da semana. A sua participação conta em 20% para a avaliação da Unidade.

Bom Fórum para todos!

Anúncios

22 thoughts on “A importância da música no desenvolvimento infantil

  1. Dó , Ré , Mi , Fá ,Sol , Lá , Si , Dó
    São as 8 notas musicais.
    1,2,3,4,5,6,7,8,.vamos contar outra vez!
    Cantarolar e dançar
    Lá ,lá , lá,
    Lá, lá , lá
    Mãos no ar ,pézinhos a saltitar, rabinho abanar,
    Toca a mexer e a entreter ,enquanto cantar!
    lá, lá , lá
    lá, lá ,lá

    IMPORTANCIA DE MUSICA NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL

    A musica possui um papel importante no desenvolvimento e na educação da criança, uma vez que esta contribui para o desenvolvimento psicomotor, socioafeactivo,, cognitivo e linguístico, além de ser facilitadora do processo de aprendizagem. A musicalização é um processo de construção do conhecimento, favorecendo o desenvolvimento da sensibilidade, criatividade, senso rítmico, do prazer de ouvir música, da imaginação, da memória, da atenção, do respeito ao próximo, da socialização e afectividade, contribuindo também para uma efectiva consciência corporal e de movimentação.
    Cantando ou dançando, a música de boa qualidade proporciona diversos benefícios para as crianças, e é uma grande aliada no desenvolvimento saudável da criança, quer esta seja desenvolvimentalmente normal ou apresente deficiências físicas, motoras ou psicológicas (e.g. síndrome de down, autismo, asperger, etc..).
    A musicalização na educação infantil está relacionada a uma motivação diferente do ensinar, em que é possível favorecer a autoestima, a socialização e o desenvolvimento sensorial das crianças na fase desenvolvimental em que esta se encontra.
    É comprovado que a música também é benéfica tanto para o feto ou um bebé recém-nascido , pois tem como beneficio estimular ou acalmar o estado de ansiedade da criança. Assim sendo, a música também é importante para a evolução no sentido auditivo, linguístico, emocional e cognitivo.
    Assim posto, é importante relembrar que ouvir música não deve ser uma actividade imposta, mas sim realizada com prazer, pois somente assim os benefícios serão obtidos de forma natural, como deve sempre ocorrer numa relação pais-filhos, como também no que diz respeito à relação entre criança e educador.

  2. Obrigada Linda pelo seu comentário! Concordo quando diz que a presença da música não deve ser uma coisa imposta, mas sim algo que se obtenha prazer. Todas as crianças gostam de música, desde que seja ritmada, que seja adequada à sua fase de desenvolvimento. Continuação de um bom estudo.

  3. “Por seu poder criador e libertador, a música torna-se um poderoso recurso educativo a ser utilizado na Pré-Escola. É preciso que a criança seja habituada a expressar-se musicalmente desde os primeiros anos de sua vida, para que a música venha a se constituir numa faculdade permanente de seu ser.
    A música representa uma importante fonte de estímulos, equilíbrio e felicidade para a criança. Assim, na Educação Infantil os fatos musicais devem induzir ações, comportamentos motores e gestuais (ritmos marcados caminhando, batidos com as mãos, e até mesmo falados), inseparáveis da educação perceptiva propriamente dita.
    Até o primeiro ano de vida, as janelas escancaradas são as dos sentidos. “A criança está aberta para receber” , diz Muszkat. Contar histórias, pôr música na vitrola, agarrar e beijar, brincar com a fala são estímulos que ajudam o aperfeiçoamento das ligações neurais das regiões sensoriais do cérebro.
    Gardner admite que a inteligência musical está relacionada à capacidade de organizar sons de maneira criativa e à discriminação dos elementos constituintes da Música. A teoria afirma que pessoas dotadas dessa inteligência não precisam de aprendizado formal para colocá-la em prática. Isso é real, pois não está sendo questionado o resultado da aplicação da inteligência, mas sim a potencialidade para se trabalhar com a música.
    Musicalidade é a tendência ou inclinação do indivíduo para a música. Quanto maior a musicalidade, mais rápido será seu desenvolvimento. Costuma revelar-se na infância e independe de formação acadêmica.
    Musicalização é um processo cognitivo e sensorial que envolve o contato com o mundo sonoro e a percepção rítmica, melódica e harmônica. Ela pode ocorrer intuitivamente ou por intermédio da orientação de um profissional.
    Se todos nascem potencialmente inteligentes, a musicalidade e a musicalização intuitiva são inerentes a todo ser humano. No entanto, apenas uma porcentagem da população as desenvolvem. Grandes nomes considerados gênios da música iniciaram seus estudos na infância, Mozart, Beethoven, Bach, Carlos Gomes e Villa Lobos, entre outros iniciaram seus estudos tendo como mestres os seus respectivos pais.
    Embora o incentivo ambiental familiar e a iniciação na infância sejam positivos, não são essenciais na formação musical. Outros fatores podem ser estímulos favoráveis ao desenvolvimento da inteligência musical: a escola, os amigos, os meios de comunicação…
    Talento e conhecimento caminham sempre juntos e um depende do outro. Quanto maior o talento mais fácil se torna o conhecimento. Quanto maior o conhecimento, mais se desenvolve o talento. “

    1. Cara aluna Raquel Duarte, muito obrigada pelo seu comentário. Independentemente do “jeito” que cada um tem para a música, todos podemos usufruir das potencialidades da música. Concordo que a música deve ser introduzida em todos os níveis de ensino, começando no berçário até ao final da escolaridade obrigatória. Continuação de um bom estudo!

  4. A musica é essencial no desenvolvimento da criança desde a geração da mesma.
    Há muitas mães, que logo durante a gravidez se sentam com fones na barriga ou só mesmo a ouvir junto a umas colunas para acalmar e dar a conhecer a criança sons do mundo que o espera.
    Há estudos que dizem influenciar o comportamento da criança consoante o tipo de musica que é exposta logo nesta fase de desenvolvimento.
    Quando nasce também cedo é exposta ás musicas de embalar, não só pelos brinquedos associados, mas também pelos próprios pais que cantam para adormecer e acalmar quando estão mais irrequietos.
    Ao longo do seu desenvolvimento o tipo de musica vai crescendo com a criança desde as musicas infantis associados com jogos e brincadeiras, aos brinquedos que ajudam a estimular o seus movimentos(a andar, bater palmas,etc) ,aos desenhos que vêm na televisão e tentam cantar,ás musicas que passam nas rádios e são expostas no seu quotidiano e marcam a sua maneira de ser, de se exprimirem.
    A musica é um factor muito importante, que também ajuda a socializar, a comunicar e trabalhar com os outros e contribui também para o aumento da auto-estima.
    É também muito utilizada em diversas terapias com crianças, desde a fala ao desenvolvimento motor e psicologico. É uma ferramenta que deve ser sábiamente usada e nunca privar uma criança dos seus beneficios e ao mesmo tempo não deve ser forçada, pois é um gosto que se adquire naturalmente, sem pressões e desejos que por vezes os pais incutem e não se apercebem que estão a destruir a beleza que a musica tem.

    Ana Margarida – Educação Infantil

    1. Cara aluna Ana Margarida, obrigada pelo seu comentário. Introduziu um novo tema muito importância que é a musicoterapia, cada vez mais utilizada em várias patologias. A música é vista cada vez mais como essencial ao ser humano! Continuação de um bom estudo!

  5. O bebe quando nasce já dispõe de extroturas mentais que apesar de rudimentares só precisam de ser estimuladas para se desenvolverem.
    Walter Moward fez experiências com bebes com exercícios movimentando-lhe as pernas, cantando e falando ritmicamente. Mudava timbres e tempos, evitando o adestrenamento. com o objectivo de proporcionar alegria a criança.
    O resultado foi que estes bebes aumentaram a destreza manual, a observação, desenvolvimento da fala e do ritmo.

    1. Cara aluna Liliana Cordeiro, muito obrigada pelo seu email e por ter partilhado mais informação sobre as experiências realizadas com bebés. Os estudos indicam beneficios em vaárias áreas no desenvolvimento infantil, motor e cognitivo. Continuação de um bom estudo!

  6. “A música é a única linguagem do mundo que todos podem entender”

    A aprendizagem da música é considerada uma forma de expressão, uma linguagem e, ao mesmo tempo, um meio que facilita a representação interna do meio que rodeia a criança.
    Os conteúdos e actividades musicais incluem-se em programações globalizantes: por exemplo, ensinam-se canções sobre a família, quando esta é o centro de interesse, fazem-se audições sobre as estações do ano, consoante as mesmas, sons de ferramentas associados aos seus ofícios, etc.
    A expressão musical está frequentemente ao serviço de outros conteúdos, de outras áreas e subjacentes a elas. Isto implica que, na realidade, o professor se veja obrigado a estabelecer relações artificiais ou superficiais entre os objectivos didácticos das unidades trabalhadas e os conteúdos musicais; de facto, nem sempre é concedido à música um tempo, um espaço, conteúdos ou entidade próprios.
    Esta realidade contrasta com o facto de a música fazer parte do nível da criança desde o seu nascimento, estando presente nos mais diversos cenários e situações. De facto, a linguagem entoada precede a linguagem articulada, as primeiras manifestações musicais na criança são muito precoces, demonstrando as suas capacidades inatas ao imitar ritmos, ao repetir melodias e ao dançar consoante o seu ritmo de uma forma espontânea.
    Embora na Educação pré-escolar se tente chegar à globalização entre as áreas curriculares, a música pode converter-se numa linguagem ao serviço dos objectos, conteúdos e actividades do processo de ensino-aprendizagem que têm lugar na escola. Partindo desta ideia, neste projecto os aspectos sonoros e as manifestações musicais são a base sobre a qual se vai configurando o processo educativo: a música e o mundo sonoro convertem-se em autênticos centros de interesse, estando presentes nas vivências da criança durante o período infantil e nas suas actividades da vida quotidiana.

    A Globalização a partir da Educação Musical
    A música constitui uma linguagem e um âmbito de experiências próprias que abarcam diferentes aspectos do desenvolvimento da criança. Por isso pode-se trabalhar de uma forma globalizada e integrada noutros conteúdos de ensino desta etapa.
    Na Educação pré-escolar, pretende-se, por exemplo, que as crianças se conheçam a si mesmas e em interacção com os outros, se desenvolvam autonomamente em função das suas possibilidades e capacidades. Através da experiência musical, as crianças vão controlando o seu próprio corpo, as suas possibilidades de expressão e vão elaborando uma imagem de si mesma, das suas características e aptidões. Além disso, nestas idades, as crianças gostam de música, pois dá-lhes segurança emocional e confiança, contribuindo para o bem-estar e para alcançar uma auto-imagem positiva.
    A educação musical ajuda-as a conseguir autonomia nos seus movimentos e nas suas actividades: andar de um lado para o outro quando ouvem música, manipular objectos sonoros, construí-los, assumir as características dos seus movimentos e controlá-los, ter cuidado com os objectos e instrumentos.
    Existe uma relação substancial entre a música, o jogo e o movimento, entre o mundo sonoro e o corpo humano. A exploração das possibilidades sonoras do corpo, das sensações e percepções, das possibilidades expressivas corporais e dos movimentos geral e segmentar desenvolve-se, basicamente, através da música. Da mesma forma, afecta a autonomia pessoal, assim como os hábitos de saúde e o cuidado pessoal em aspectos como moldar a voz, controlar os ritmos e relaxar.
    As experiências musicais criam relações com a descoberta do meio envolvente e a convivência com os outros. A vida em sociedade oferece manifestações musicais variadas, associadas a um vivos e da matéria, descobrir a sua própria cultura musical, entre outros, são maneiras muito significativas de tomar consciência da pertença ao seu grupo social e da vida em sociedade.
    Por outro lado, as experiências musicais são, basicamente, actividades em grupo, com os membros da escola, com a família ou com grupos sociais (em actividades festivas, celebrações, etc.). Constituem assim, uma vida social que requer a participação e o respeito de todos. A música é além disso, um veículo para estabelecer relações pessoais: a canção, a narração de contos com música, a orquestração com os amigos, as produções rítmicas ou bailes permitem às crianças ampliar o seu mundo de relações sociais e participar em situações de interacção muito diversas.
    A música manifesta-se igualmente na actividade e na vida quotidiana: as actividades musicais integram-se na vida escolar e no meio envolvente, através dos jogos, das rotinas, das normas de relacionamento com os outros e da coordenação da acção com os outros.
    Nos primeiros anos, o campo de experiência das crianças é limitado ao ambiente mais próximo; à medida que vão crescendo, precisam de ampliar as suas experiências e satisfazer a sua curiosidade e a sua vontade de experimentar. A música é um excelente veículo de aproximação de outras culturas ou épocas, na medida em que consiste, ao mesmo tempo, numa realidade sempre presente na vida das pessoas e num aspecto da cultura que abre portas a outras manifestações, a outros tempos, permitindo que a criança descubra um mundo além do presente e imediato. Na criança, isto provoca um interesse por outros mundos, uma curiosidade e respeito face a outros povos e culturas, o que amplia a sua visão e percepção mais imediata da realidade. Tudo isto contribui para desenvolver a sua capacidade de simbolização e ampliar o seu campo de experiências e conhecimentos.

    1. Cara aluna Gennifer Samantha, obrigada pelo seu email. É verdade “A música é a única linguagem do mundo que todos podem entender”, ainda assim há quem desvalorize a sua importância no ensino e na vida. Continuação de um bom estudo!

  7. Aluna Umbelina
    Sim a música é um instrumento fundamental no desenvolvimento e estímulo como no equilíbrio e felicidade para as crianças.
    Musicalização é um processo cognitivo e sensorial que envolve o contrato com o mundo sonoro e a percepção rítmica ,melódica e harmónica.
    O que pode ocorrer intuitivamente ou por intermédio de orientação de um profissional.
    A música fica assim sendo um estímulo com grande valor e peso no desenvolvimento da inteligência das crianças .
    Vamos dar música as nossas crianças desde bebés.

    1. Cara aluna Umbelina, obrigada pelo seu comentário. Concordo consigo, vamos dar música às nossas crianças! Hoje em dia quase todos os infantários/creches já têm a música no currículo, esperemos que assim seja em todas as instituições de ensino e de forma gratuita! Continuação de um bom estudo!

  8. A música é algo que nos faz sonhar e libertar energias através da sua batida e ritmo. Os bebés ainda dentro da barriga da mãe desenvolvem capacidades de sentir as vibrações e ouvir tudo ao seu redor, por isso até existem algumas pessoas que enquanto os bebés estão no seu “casulo” metem música para o fazer entender e até falam para a barriga. Acho engraçado pois quando nascem sabem perfeitamente de quem é a voz e acalmam a ouvir quem falava com eles mesmo sem conhecerem o rosto e aspecto físico das pessoas.
    A música é um factor determinante nos desenvolvimentos motores, linguísticos e afectivos de todos os indivíduos.

  9. Na minha opinião a música é bastante importante no desenvolvimento infantil uma vez que representa uma importante fonte de estímulos, equilíbrio e felicidade para a criança. A música é um meio de expressão de ideias e sentimentos mas também uma forma de linguagem muito apreciada pelas pessoas.
    Desde muito cedo, a música adquire grande importância na vida de uma criança. Através da experiência musical são adquiridas sensações e desenvolvidas capacidades que serão importantes durante o crescimento infantil.
    Sabe-se que os bebês reagem a sons dentro do útero materno e que a música, desde que apropriadamente escolhida, pode acalmar os recém-nascidos. Assim, cantar, murmurar ou assobiar fornecem elementos sonoros e também afetivos, através da intensidade do som, inflexão da voz, entonação, contato de olho e contato corporal, que serão importantes para a evolução do bebê no sentido auditivo, linguístico, emocional e cognitivo.
    Isto ocorre também durante todo o desenvolvimento infantil, pois através da música e das suas características peculiares, tais como ritmos variados e estrutura de texto diferenciada, muitas vezes com utilização de rimas, a criança vai desenvolvendo aspectos da sua percepção auditiva, que serão importantes para a evolução geral da sua comunicação, favorecendo também a sua integração social. Quando as crianças realizam actividades musicais, estas trabalham a sua concentração, memorização, consciência corporal e coordenação motora, principalmente porque, juntamente com o cantar, ocorre com frequência o desejo de movimentar o corpo acompanhando o ritmo e criando novas formas de dança e expressão corporal. No setor linguístico percebemos a possibilidade de estimular a criança a ampliar o seu vocabulário, uma vez que, através da música, ela se sente motivada a descobrir o significado de novas palavras.
    Finalmente, há que lembrar que ouvir música não deve ser uma atividade imposta e sim realizada com prazer, pois somente assim os benefícios serão obtidos de forma natural.

    1. Cara aluna Sónia, muito obrigada pelo seu comentário. A música é uma forma de comunicação universal, capaz de expressar todas as emoções do ser humano, boas e más. Como referiu, há estudo que referem que reagimos aos estímulos musicais ainda no útero materno. Continuação de um bom estudo!

  10. A criança e a música
    Desde muito cedo a criança é sensível aos estímulos sonoros. Mas, dado que esses estímulos lhe chegam misturados com outros de ordem visual – gestos, movimentos – e ainda de ordem afectiva – sorrisos, contactos, beijos – há que julgar cuidadosamente para discriminar quais as respostas motivadas especificamente por estímulos sonoros. Apesar de, logicamente, não podermos esquecer que a simples percepção passiva do som tem de ser anterior a qualquer resposta concreta da criança.
    A criança, no próprio momento do nascimento, começa a gritar. O grito é a sua primeira manifestação sonora, nem linguística, nem musical. Os sons que produz são indiscriminados e não intencionais. Durante semanas o grito é a sua única manifestação sonora. A criança encontra-se naquilo a que se convencionou chamar o período do grito.
    Antes de ter superado totalmente o grito, aparece o balbuciar, que dá início a uma etapa mais demorada: é o período da lalação. Esta actividade aparece às vezes no primeiro ou no segundo mês de vida da criança. Ela entrega-se a um jogo em que produz constantemente, incluindo nos momentos de repouso, uma espécie de cantarolar (auàuàu, apapá…) que pouco a pouco se vai articulando. A lalação constitui um exercício de preparação da expressão verbal que irá declinar quando a criança comece a pronunciar as primeiras palavras, ou seja, já cerca dos doze meses de idade. Entre os doze e os dezoito meses a criança começa já a imitar a linguagem do adulto.
    Nem o grito, nem o balbuciar se podem considerar musicais. Mas se o balbuciar próprio do período da lalação foi considerado um período pré-musical.
    As respostas da criança verificam-se perante:
    1. Ritmo
    2. Educação auditiva
    3. Educação da voz
    4. Instrumentos musicais
    5. Audição musical

    1. Cara aluna Jennifer Samantha
      Muito obrigada pela sua participação. Existe um paralelismo entre as várias fases do desenvolvimento vocal da criança e o desenvolvimento de várias caracteristicas ou competências musicais na criança como evocou. Continuação de um bom estudo!

  11. A música é um elemento fundamental na primeira etapa do sistema educativo. A criança começa-se a expressar de outra maneira e é capaz de se integrar ativamente na sociedade, porque a música ajuda a ganhar independência nas suas atividades habituais, assumir o cuidado de si mesma e do meio, e ampliar seu mundo de relações. A música tem o dom de aproximar as pessoas.
    A criança que vive em contato com a música aprende a conviver melhor com outras crianças, estabelecendo uma comunicação mais harmoniosa. Nesta idade a música encanta-as, dá-lhes segurança emocional, confiança, porque sentem-se compreendidas ao compartilhar canções, e inseridas num clima de ajuda, colaboração e respeito mútuo.
    Na etapa de alfabetização a criança é mais estimulada com a música. Através das canções infantis, nas que as sílabas são rimadas e repetitivas, e acompanhadas de gestos que se fazem ao cantar, a criança melhora a sua forma de falar e de entender o significado de cada palavra. E assim, se alfabetizará de uma forma mais rápida.
    A música também é benéfica para a criança quanto ao poder de concentração, além de melhorar sua capacidade de aprendizagem em matemática. A música é pura matemática. Além disso, facilita a aprendizagem de outros idiomas, potenciando sua memória.
    Com a música, a expressão corporal da criança vê-se mais estimulada. Utilizam novos recursos ao adaptar o seu movimento corporal aos ritmos de diferentes músicas, contribuindo desta forma na potencialidade do controlo rítmico do seu corpo. Através da música, a criança pode melhorar a sua coordenação e combinar uma série de movimentos..

    1. Obrigada Catarina pelo seu comentário. Como temos vindo a ver ao longo deste fórum, a música é bastante importante no desenvolvimento de certas competências nas crianças, nomeadamente a concentração e outras competências sociais e cognitivas. Continuação de um bom estudo!

  12. Encerramento do Fórum do mês de Agosto.

    Caros alunos e alunas,
    Gostei muito das vossas participações no Fórum/Blog deste mês. Os vossos comentários, foram muito enriquecedores, ponderados e devidamente fundamentados, especiais, cada um em particular. Apresentaram exemplos, criticas, e opiniões pertinentes. Mostram o vosso interesse e conhecimento sobre os tema apresentado. Todos cumpriram os objetivos propostos de refletir sobre esta temática do âmbito do nosso curso.
    A música representa uma importante fonte de estímulos, equilíbrio e felicidade para a criança!
    Obrigada pelos vossos trabalhos.Muito obrigada pela vossa participação.

  13. A música vem sempre como aliada desde a gravidez da mulher como forma de alívio do stress. Ao nascer, a música se torna aliada da criança como forma de relaxamento e alívio nos primeiros meses. Com o passar do tempo ela se torna importante para o desenvolvimento da fala e do corpo, através das canções infantis, das rimas, que devido a agitação da criança, possibilita o seu próprio aprendizado.Estudos recentes comprovam o melhor desempenho matemático daqueles que estudam música desde pequenos. Além destes benefícios, a capacidade de concentração se aprimora cada vez mais por meio das músicas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s