Fórum do mês de maio – Autismo

Algumas pistas podem ajudar os pais e educadores a antecipar a descoberta do problema em bebés e aumentar o progresso do tratamento.

A doença costuma ser identificada pelos médicos entre 1 ano e meio e os 3 anos, mas os especialistas referem que os próprios pais e educadores  são capazes de detectar os primeiros sinais a partir dos 8 meses e, assim, procurar ajuda especializada quanto antes.

As Perturbações do Espectro do Autismo (PEA) tornam-se mais óbvias a partir dos 18 meses de idade. Permanecem toda a vida, mas podem conhecer melhorias quando tratadas adequadamente.

Segundo a Associação Americana de Psiquiatria, as Perturbações do Espetro do Autismo (PEA)“são um síndroma neuro-comportamental com origem em perturbações do sistema nervoso central que afeta o normal desenvolvimento da criança. Os sintomas ocorrem nos primeiros três anos de vida e incluem três grandes domínios de perturbação:social, comportamental e comunicacional”

Alguns sinais:

Olhares perdidos. O olhar é extremamente importante para demonstrar o vínculo materno, a criança autista pode não fitar a figura da mãe e ter um olhar perdido.

O choro quase ininterrupto, uma inquietação constante ou, ao contrário, uma apatia exacerbada também merecem atenção.

Incomodo com o toque, com alguns sons e com certas texturas de alimentos.

ausência de fala, uma aparente surdez e  movimentos pendulares estereotipados de tronco, mãos e cabeça.

autismo

Participe e desenvolva, no seu ponto de vista, o tema exposto a debate. Se desejar, apresente exemplos representativos do que pretende ilustrar. Pode ainda comentar as participações dos colegas.

O post de cada formando deve ser submetido até ao final da semana. A sua participação conta 20% para a avaliação da Unidade.

Para participar basta clicar em INSERIR COMENTÁRIO, não esquecendo de indicar o seu nome e curso para que o seu contributo seja avaliado. Os vossos comentários serão primeiro sujeitos à aprovação do professor pelo que podem não ficar imediatamente disponíveis.

Aguardo as vossas participações com expectativa, o vosso contributo é muito importante para o sucesso deste fórum!

Anúncios

30 thoughts on “Fórum do mês de maio – Autismo

  1. Autismo é ser identificada pelos médicos entre 1 ano e meio e os 3 anos, mas os especialistas referem que os próprios pais e educadores são capazes de detectar os primeiros sinais a partir dos 8 meses e, assim, procurar ajuda especializada quanto antes

    1. Autismo – Resumo.
      Aluna: Inês Machado

      Segundo a Associação Americana de Psiquiatria, as Perturbações do Espetro do Autismo são um síndroma neuro-comportamental com origem em perturbações do sistema nervoso central da criança que afeta o normal desenvolvimento desta, como, um olhar perdido, o incomodo com toque, falta de noçao do perigo, hiperatividade, atração estranha aos objetos, dificuldade de se relacionar com crianças e adultos, sensibilidade aos sons, entre muitas outras coisas. A doença costuma ser identificada pelos médicos entre 1 ano e meio e os 3 anos.

      Estas crianças não são diferentes, são especiais,e merecem o mais carinho e dedicação da nossa parte, pois todos merecemos. Como podemos ver no vídeo, a irmã aceita e todos nós também teremos que aceitar, respeitar, e saber lidar 🙂

      Cumprimentos a todos os colegas que estão neste curso que admiro imenso pois as crianças para mim são a minha alegria, e nos conseguimos alcançar tudo aquilo que queremos, portanto boa sorte a todos vocês com o curso!

  2. Erika costa EL6139P Puericultura
    Na sociedade que estamos vivendo só e coveniente alguns tipos de adultos e criança ,tudo e motivo de ser gozado ,criticado e até de ser julgado .Por exemplo :Uma criança a fazer birras pode ser autista ou não ,logo já ouvimos porque essa mãe ou pai sai com essa criança ou porque não os castiga ?Mais a pessoa que estar a julgar não sabe nada da vida da criança e os pais ,não sabe se a criança tem algum distúrbio ou estar cansado ou tem fome ,sono etc.O importante e ser do jeito que a sociedade quer ,sendo que há criança com vários tipos de distúrbios que não são visíveis ,mais eles existem e são tratados .
    O adultos que julgam educam criança que também vão gozar com uma criança que tenha ou não autismo .

  3. EL7165S- Cláudia Correia
    O autismo é um transtorno infantil que pode acontecer mais em meninos que em meninas.Uma criança autista tem um “olhar que não olha”, mas que traspassa. Não segue a mãe e pode distrair-se com um objeto sem saber para que serve.A criança autista pode dar voltas como um pião, fazer movimentos rítmicos com seu corpo tal como agitar os braços, o apoio familiar é de grande utilidade, os pais devem saber que a alteração autista não é um transtorno relacional afetivo de criança.Os pais devem animar seus filhos autistas para que desenvolvam essas habilidades que fazem uso dos seus pontos fortes de maneira que se sintam bem consigo mesmos. O psiquiatra, além de tratar a criança, pode ajudar a família a resolver o stress; por exemplo, pode ajudar aos irmãos, que possam sentir-se ignorados pelo cuidado que requer a criança autista. Crianças com autismo ligeiro podem mesmo ir à escola normalmente, mas a maioria precisa de uma escola especial, mais calma, com professores especiais.

  4. Anabela Isento EL7651T

    Autismo

    As crianças começam a demonstrar sinais nos primeiros anos de vida, não mantém contacto visual efectivo e não olham quando se chama por ela.A partir dos 12 meses de vida por exemplo elas não apontam o dedilho, demonstram mais interesse nos objectos do que nas pessoas e quando os pais fazem brincadeiras de esconder ou sorrir podem não demonstrar muita reacção. O diagnóstico do autismo é clínico, feito através de observação directa do comportamento e de uma entrevista com os pais ou responsáveis. Os sintomas costumam estar presentes antes dos 3 anos de idade, sendo possível fazer o diagnóstico por volta dos 18 meses de idade.

  5. EL7072S
    EDUCAÇAO INFANTIL

    O autismo é um conjunto de alterações e transtornos que afeta o crescimento normal da criança, alterando o desenvolvimento do seu sistema nervoso central. O autismo afeta às capacidades de reconhecimento e de comunicação social da criança, ao mesmo tempo que coloca em evidência comportamentos repetidos, uma tendência à rotina e à solidão. Também dificulta a imaginação social da criança.

    O autismo, por vezes, pode ser quase que imperceptível e pode confundir-se com timidez, falta de atenção ou excentricidade, como ocorre no caso da síndrome de Asperger e no autismo de alto funcionamento, por exemplo. E por isso em caso de suspeita deve-se ir ao médico para que seja ele a avaliar o desenvolvimento e o comportamento da criança para indicar o que ela tem e como tratar.

  6. O autismo infantil é uma síndrome geralmente diagnosticada entre 1 ano e meio e os 3 anos de idade ,que é caracterizada por :Problemas na comunicação na socialização e no comportamento, que faz com que a criança apresente algumas, características especificas . Como dificuldades na fala e em expressar ideias e sentimentos , mau-estar em relação aos outros , pouco contacto visual , além de padrões repetitivos e movimentos estereotipados,como ficar muito tempo sentado balançando o corpo para frente e para trás .

    Evidentemente conviver com o autismo não é viver um conto de fadas, onde tudo é lindo ,magico e surpreendente ! É claro que existem dificuldades revoltas . Mas ao mesmo tempo há quebra de paradigmas ,unidade familiar e cria nas pessoas um amor capaz de trazer força e garra além do normal . Mas também não e visto muito bem pelas crianças pois elas julgam e fazem troça da criança por ser diferente e isso também afeta a criança que tenha autismo .

  7. Autismo é um mundo diferente, ou talvez, uma forma de ver o mundo diferente.
    O autista vive no mundo dele próprio, cheio de metas, obstáculos mas também de vitórias. Tem dificuldade em sociabilizar, tem dificuldade em integrar-se, pouca pouca imaginação, pouco vocabulário, mas com capacidades extraordinárias e revelaforas.

  8. O autismo trata-se de uma anomalia congénita que surge durante a formação do bebé in utero, e que afecta algumas áreas da função cerebral. A incidência do autismo é de cerca de 1 em 10 000 nados-vivos do sexo feminino , e 4 do sexo masculino. No total, fazendo uma estimativa, teremos anualmente cerca de 60 novos casos de autismo em Portugal. Esta situação não pode ser identificada , de nenhuma forma, durante a gestação, será o desenvolvimento da criança que irá revelando as várias características desta situação. Ainda não se conseguiu chegar a uma conclusão sobre as causas das síndromas autistas. Provavelmente existirá um componente ambiental e um genético, ou seja, quando há um filho autista a probabilidade de um segundo ter a doença é de um em vinte, superior ao da população em geral. É importante os pais estarem atentos aos sintomas quando são consistentes e prolongados, tais como os que lemos no texto acima descritos. É importante desculpabilizar os pais e procurar apoiá-los. Não há cura para o autismo e dificilmente se encontrará uma, dado que se trata de um problema de funcionamento global do cérebro. Com um tratamento e abordagem adequadas há maior probabilidade de a criança poder evoluir para uma vida com maior autonomia e quase “normal”. Tudo depende do grau da doença e das áreas que estão mais perturbadas. Embora não exista cura as intervenções agora nada têm a ver com as que existiam há dez ou vinte anos. Uma coisa é certa, quanto mais cedo o tratamento começar , maiores as probabilidades de êxito.
    Raquel Monteiro, Puericultura, EL6786R

  9. Uma criança autista não deixa de ser uma criança normal como todas as outras, fisicamente, psicologicamente vive um bocado no seu mundo. Mas isso não quer dizer que não socialize com outras crianças, que não brinque com elas, pois são crianças muitos inteligentes. Na escola podem ser alvo de criticas, o que faz com que elas fiquem no seu “mundinho” . Elas têm dificuldade na concentração, porque elas estão atentas a tudo em seu redor, e por vezes entram em pânico com tanta informação. Os pais, educadores não devem entrar em pânico, quando diagnosticado, serão acompanhados por profissionais e podem viver como uma criança, brincar como uma criança.

    Cátia Cancelinha
    Educação Infantil
    EL7393S

  10. Olá a todos!

    O autismo é um distúrbio neurológco caracterizado por comportamentos da interação social. Os pais constumam notar sinais nos dois primeiros anos de vida da criança.
    A maioria das crianças autistas são, aparentemente normais, mas passam o tempo envolvidas em comportamentos hiper-ativos, completamente distintos do comportamento de crianças típicas. São crianças diferetes, que requerem muito mais da nossa atenção e dedicação. Existe vários graus de autismo e diversos sintomas.
    Está em todos nós, futuros ajudades de educação e como mãe ajudar as nossas crianças a terem uma infancia melhor e serem tratadas como crianças que são!

  11. As crianças autistas, tal como todas as crianças, são diferentes no comportamento e habilidades. Todas elas têm sintomas diferentes, o que torna difícil diagnosticar o autismo. Um sintoma pode ser fácil de ver numa criança e não se ver noutra.
    O autismo altera a forma como vemos e experienciamos o mundo. Uma criança autista não interpreta as coisas ou os sentimentos como nós. É difícil para uma criança autista relacionar-se com outros ou expressar-se através de palavras. Estas crianças normalmente isolam-se num mundo deles e precisam de ajuda para comunicar.
    O autismo provoca reacções diferentes ao que se passa à volta. Sons que para nós são normais podem incomodar um autista, ao ponto de os levar a tapar os ouvidos. Até a sensação de ser tocado pode ser muito desconfortável para uma criança autista.
    Estas crianças têm mais dificuldade, ou não conseguem, associar coisas. Por exemplo, quando alguém sorri, tu sabes que essa pessoa está contente ou está ser amigável. Mas uma criança com autismo terá dificuldade em associar o sorriso a um estado emocional da pessoa.
    O mesmo se passa com as palavras. Uma autista tem dificuldade em ligar as palavras ao seu significado. Imagina o que será tentar perceber o que os teus amigos estão a dizer se não souberes o que as palavras significam. É muito frustrante para uma criança tentar dizer qualquer coisa e não encontrar as palavras certas. Por isso às vezes os autistas têm acessos de muito mau humor. Não é por mal… é apenas frustração.
    Alguns de nós já reparamos certamente em comportamentos estranhos que estas crianças têm. Podem estar sempre a bater palmas, a repetir as mesmas palavras sem parar, ter birras ruidosas ou brincar apenas com o mesmo brinquedo. A maioria dos autistas não gostam de alterações na sua rotina. Se estão habituados a acordar a uma determinada hora, tomar o pequeno-almoço e depois brincar, não gostam de trocar a ordem das actividades. É a maneira que eles encontraram de organizar um mundo que é diferente do nosso.
    É importante saber e em forma de conclusão, que muitas crianças com autismo ligeiro vão crescer e ser capazes de viverem a sua vida de forma quase autónoma. Mas aqueles com autismos mais profundos vão sempre precisar de ajuda. Não nos podemos esquecer que todas as crianças autistas podem ter uma vida feliz se tiverem o apoio e amor dos pais, irmãos, família, médicos, professores e colegas. Não desistam delas…

  12. Autismo – Resumo.
    Aluna: Inês Machado
    Educação Infantil
    EL7679T

    Segundo a Associação Americana de Psiquiatria, as Perturbações do Espetro do Autismo são um síndroma neuro-comportamental com origem em perturbações do sistema nervoso central da criança que afeta o normal desenvolvimento desta, como, um olhar perdido, o incomodo com toque, falta de noçao do perigo, hiperatividade, atração estranha aos objetos, dificuldade de se relacionar com crianças e adultos, sensibilidade aos sons, entre muitas outras coisas. A doença costuma ser identificada pelos médicos entre 1 ano e meio e os 3 anos.

    Estas crianças não são diferentes, são especiais,e merecem o mais carinho e dedicação da nossa parte, pois todos merecemos. Como podemos ver no vídeo, a irmã aceita e todos nós também teremos que aceitar, respeitar, e saber lidar 🙂

    Cumprimentos a todos os colegas que estão neste curso que admiro imenso pois as crianças para mim são a minha alegria, e nos conseguimos alcançar tudo aquilo que queremos, portanto boa sorte a todos vocês com o curso!

    Segundo a Associação Americana de Psiquiatria, as Perturbações do Espetro do Autismo são um síndroma neuro-comportamental com origem em perturbações do sistema nervoso central da criança que afeta o normal desenvolvimento desta, como, um olhar perdido, o incomodo com toque, falta de noçao do perigo, hiperatividade, atração estranha aos objetos, dificuldade de se relacionar com crianças e adultos, sensibilidade aos sons, entre muitas outras coisas. A doença costuma ser identificada pelos médicos entre 1 ano e meio e os 3 anos.

    Estas crianças não são diferentes, são especiais,e merecem o mais carinho e dedicação da nossa parte, pois todos merecemos. Como podemos ver no vídeo, a irmã aceita e todos nós também teremos que aceitar, respeitar, e saber lidar 🙂

    Cumprimentos a todos os colegas que estão neste curso que admiro imenso pois as crianças para mim são a minha alegria, e nos conseguimos alcançar tudo aquilo que queremos, portanto boa sorte a todos vocês com o curso!

  13. O autismo numa crianca pode tornar-se por vezes muito incomodativo para quem convive com a crianca. A minha irma tem um colega de turma com autismo, e ele torna-se muito possessivo, e repete muitas vezes os mesmos gestos. As vezes os colegas de turma chegam a ter receio de brincar com ele, tambem nao consegue expressar bem a sua fala nao pronuncia a letra r.
    Estas criancas devem ser seguidas e ajudadas para que nao sejam postas de lado.
    Monica curso de puericultura EL6714R

  14. O autismo pode ser associada a uma deficiência intelectual , dificuldade de coordenação motora e de atenção e, as vezes, as pessoas com autismo têm problemas de saúde física como sono e distúrbios gastrointestinais e podem apresentar outras condições como síndrome de deficit de atenção e hiperatividade , dislexia ou dispraxia.
    Algumas pessoas podem ter dificuldades de aprendizagem em diversos estágios da vida, desde estudar na escola, até aprender atividades da vida diária, como, por exemplo, tomar banho ou preparar a própria refeição.
    Algumas poderão levar uma vida relativamente “normal”, enquanto outras poderão precisar de apoio especializado ao longo de toda a vida.
    Assim como qualquer ser humano, cada pessoa com autismo é única e todas podem aprender.
    A maioria das pessoas com autismo é boa em aprender visualmente;
    Algumas pessoas com autismo são muito atentas aos detalhes e à exatidão;
    Geralmente possuem capacidade de memória muito acima da média;
    É provável que as informações, rotinas ou processos uma vez aprendidos, sejam retidos;
    Algumas pessoas conseguem concentrar-se na sua área de interesse especifico durante muito tempo e podem optar por estudar ou trabalhar em áreas afins;
    A paixão pela rotina pode ser fator favorável na execução de um trabalho;
    Indivíduos com autismo são funcionários leais e de confiança;

  15. Boa tarde!
    Autismo, sem dúvida, requer uma delicadeza para podermos ajudar um ser autista, o que é muito importante, as pessoas terem pelos menos uma noção da doença. Com este vídeo e o breve resumo, consegui inteirar-me um pouco do assunto. Eu já tive a oportunidade de cuidar de um menino autista (no estágio que fiz num A.T.L) e, de facto, ele apresentava alguns dos sintomas mencionados. Eu lembro-me que havia momentos em que ele isolava-se e brincava na tablet. Também tinha o hábito de roer a tampa das canetas e a roupa que trazia, era como “se não saísse da sua rotina”. Ele era muito querido e meigo. Na minha opinião, fico triste quando há preconceito, principalmente, no que toca a este assunto. É normal uma criança reparar noutra criança e ver que esta é diferente dela, mas isso não significa que não possa haver comunicação ou que não se estabeleça uma amizade entre ambas. Não é fácil, mas também não é impossível, caber aos adultos, encontrar uma forma simples e correta de explicar ás crianças a situação para que estas não se sintam desconfortáveis ou as levem a cometer um ato menos bom para com o próximo. Pois, a criança aprende tudo o que um adulto ensina, se esse adulto tiver preconceito, á medida que a criança vai crescendo, acaba por adquirir esse modo de pensar.

    Um dia, gostaria de assistir a uma aula virtual que pudesse aprofundar mais este tema.
    Fiquem bem! 🙂

  16. O TEA é uma condição geral para um grupo de desordens complexas do desenvolvimento do cérebro, antes, durante ou logo após o nascimento. Esses distúrbios se caracterizam pela dificuldade na comunicação social e comportamentos repetitivos. Embora todas as pessoas com TEA partilhem essas dificuldades, o seu estado irá afetá-las com intensidades diferentes. Assim, essas diferenças podem existir desde o nascimento e serem óbvias para todos; ou podem ser mais sutis e tornarem-se mais visíveis ao longo do desenvolvimento.

    O TEA pode ser associado com deficiência intelectual, dificuldades de coordenação motora e de atenção e, às vezes, as pessoas com autismo têm problemas de saúde física, tais como sono e distúrbios gastrointestinais e podem apresentar outras condições como síndrome de deficit de atenção e hiperatividade, dislexia ou dispraxia. Na adolescência podem desenvolver ansiedade e depressão.

    Algumas pessoas com TEA podem ter dificuldades de aprendizagem em diversos estágios da vida, desde estudar na escola, até aprender atividades da vida diária, como, por exemplo, tomar banho ou preparar a própria refeição. Algumas poderão levar uma vida relativamente “normal”, enquanto outras poderão precisar de apoio especializado ao longo de toda a vida.

    O autismo é uma condição permanente, a criança nasce com autismo e torna-se um adulto com autismo.

    Assim como qualquer ser humano, cada pessoa com autismo é única e todas podem aprender.
    Tânia Oliveira
    Educação infantil EL7058S

  17. O Autismo pede ser identificado logo no primeiro ano de vida da criança,mais por falta de informações os pais muitas vezes demoram de identificar esse transtorno,e quanto mais cedo for diagnosticado,ela terá uma vida normal dentro dos seus limites.
    Autismo exige a atenção dos pais e possui tratamento,porém cada paciente exige acompanhamento individual,conforme a necessidade.

  18. ola boa noite :

    sobre o tema AUTISMO: nao conheço muito bem esse doença , nunca tive nenhum contacto com nenhuma criança que eu conheça .Na minha maneira de ver e pensar ano deve ser fácil lidar com uma criança assim, normalmente gostamos que elas de uma risada ,faça um gesto que faça algo .Quando isso nos acontecer temos que saber minimamente lidar com esse tipo de problema ,sao crianças como outras quaisquer embora com uma personalidade diferente de uma criança normal mas nao deve ser nada com um bocadinho de paciência ,de carinho, compreensão e a atensao nao se consiga lidar com essas ccrianças.

    ISABEL DOMINGUES

    curso educaçao infantil

    EL6806R

  19. Autismo
    Como os animais podem ajudar crianças autistas

    As crianças com autismo têm dificuldade em interagir com as pessoas e até mesmo com outras crianças, mas está provado que famílias com crianças autistas que tenham animais de estimação pode ser um factor que melhora as habilidades sociais dessas mesmas crianças.
    Os animais de estimação são úteis porque são um catalisador para conversas pois a maioria das crianças gosta de falar com os animais e sobre os animais.

    Aluna:Isa Cardoso – EL7550T
    Curso:Puericultura

  20. O Autismo

    Tenho um sobrinho que é autista, foi muito dificil o diagnostico, pois ele parecia uma criança como qualquer outra. Só partir dos 18 meses quando já começava a dizer algumas palavras, de um dia para o outro ele deixou de falar, não gostava de ouvir nenhum som, a todo o momento tinha as mãos a tapar os ouvidos.
    Os médicos começaram a trata-lo como se tivesse uma otite inicialmente, depois de vários testes acharam que era preguiça, enfim a minha irmã andou de país em país, foi desesperador, nós nem tínhamos noção da existência deste transtorno.
    Mas passados 4 anos ele já consegue ter comunicação com o meio que o rodeia apesar de muitas vezes preferir o isolamento, já responde a alguns estímulos ou comandos, como por ex:Se lhe pedirem para ir buscar algo, quando quer algo, já leva pessoa até ao local que ele deseja, já vai ao wc sozinho.
    Tal como foi dito, os animais de estimação ajudam muito no processo de integração do autista e depois de nos ter sido aconselhado, adquirimos um cãozinho que o seu melhor amigo.
    Ele ainda não fala embora perceber tudo o que se lhe diz, já está integrado em uma turma de pré escolar, mas tem ainda muito que trabalhar para aprender.

    Eu agradeço a sugestão deste tema pois foi possível aprender um pouco mais sobre este transtorno.

  21. O autismo infantil é uma doença diagnosticada entre os 2 e 3 anos de idade, que é caracterizada por problemas na comunicação, na socialização e no comportamento, que faz com a criança apresente algumas características específicas, como dificuldade na fala e em expressar ideias e sentimentos, mal-estar em meio aos outros e pouco conctato visual.
    O autismo, por vezes, pode ser quase que imperceptível e pode confundir-se com timidez, falta de atenção ou excentricidade, como ocorre no caso da síndrome de Asperger e no autismo de alto funcionamento, por exemplo. E por isso em caso de suspeita deve-se ir ao médico para que seja ele a avaliar o desenvolvimento e o comportamento da criança para indicar o que ela tem e como tratar.

    Carla Veiga, EL7050S Educação Infantil

  22. Encerramento do Fórum.
    Caros alunos e alunas,
    Gostei muito das vossas participações no Fórum/Blog deste mês.
    Os vossos comentários, foram muito enriquecedores, ponderados e devidamente fundamentados, especiais, cada um em particular.
    Apresentaram exemplos, críticas, e opiniões pertinentes. Mostram o vosso interesse e conhecimento sobre o tema apresentado.
    Todos cumpriram os objetivos propostos de refletir sobre esta temática.
    Gostaria de relembrar que o fórum está aberto à participação dos alunos, não só nos comentários, como também na elaboração de artigos ou escolha de temas. Fico a aguardar a vossa contribuição. Se estiverem interessados podem enviar-me um email com o texto que gostariam de ver publicado.

  23. As crianças autistas, tal como todas as crianças, são diferentes no comportamento e habilidades. Todas as crianças com autismo têm sintomas diferentes, o que torna difícil diagnosticar o autismo. Um sintoma pode ser fácil de ver numa criança e não se ver noutra.
    Crianças com autismo têm mais dificuldade, ou não conseguem, associar coisas. Por exemplo, quando alguém sorri, tu sabes que essa pessoa está contente ou está ser amigável. Mas uma criança com autismo terá dificuldade em associar o sorriso a um estado emocional da pessoa.

    Lúcia Soares
    Educação Infantil, EL7380S

  24. O autismo é uma condição médica do sistema nervoso central que se manifesta na infância e que se caracteriza por dificuldades na comunicação e interacção social. As crianças com transtorno do aspecto autista já começam a mostrar sinais nos primeiros meses de vida: elas não mantêm contacto visual, afectivo e não olham quando os chamam. Apartir dos doze meses, por exemplo, elas também não apontam com o dedo. No primeiro ano de vida demonstram mais interesse nos objectos do que nas pessoas e quando os pais fazem brincadeiras de esconder, sorrir, podem não demonstrar nenhuma reacção.

    Cristina Marvanejo,
    Educação Infantil, EL6515R

  25. Boa tarde,

    Na sociedade em que vivemos,infelizmente muitas vezes e difícil para os pais ter um filho autista, visto que devido as suas atitudes e forma de estar, tudo e motivo de gozo e preconceito.
    As crianças autistas criam e vivem no seu próprio mundo, tem dificuldade em encarar atividades novas, pois estão limitados a seguir sempre a sua rotina e hábitos, estranham tudo o que e novidade, tem dificuldade em se relacionar com os outros e não gostam de discursar.
    Uma criança autista, acaba por ser considerada uma criança diferente de todas as outras, devido ao seu comportamento, e os pais tem de ter uma enorme paciência e calma para conseguir lidar com a situação.
    O autismo normalmente poderá ser detetado a partir dos oito meses, embora seja a partir dos dezoito meses que se consegue verificar melhor o problema.O autismo, como todas as doenças apresenta sintomas, como por exemplo:
    -Dificuldade de relacionamento com as outras pessoas;
    -Gosto em sozinho no seu canto;
    -Dificuldade em falar e comunicar;
    -Olhar vazio e movimentos rotineiros e estranhos;
    -Dificuldade no uso dos próprios brinquedos;
    – Distração constante e sem noção dos perigos;
    -Alteração de hábitos e rotinas, e sinonimo de desaprendizagem e desinteresse, pois não gostam de alterações no seu dia a dia, etc.
    As crianças autistas apresentam muitas vezes dificuldades auditivas, pelo que os sons normais, para eles podem ser frustrantes, fazendo que tenham a atitude de tapar os ouvidos, apresentam dificuldade ao toque, o que muitas vezes dificulta a criação de laços e as próprias brincadeiras.
    Outro problema das crianças autistas e o facto de não conseguirem expressar os seus sentimentos, e ainda o facto de não conseguirem estabelecer um discurso coerente, pois não conseguem associar o significado das palavras as coisas, o que faz com que muitas vezes a criança fique frustrada e possa ter ate atitudes violentas.
    Em suma, um autista apresenta comportamentos estranhos, ou seja pode estar repetidamente a fazer a mesma coisa, como por exemplo rir, chorar, gritar, bater palmas, preferir um único brinquedo e todos os outros os danificar.
    Uma criança autista e igual a todas as outras, mas gera o seu mundo diferente e apenas quem for desejado consegue entrar nele.

    Tânia Rodrigues
    Curso de Puericultura EL6947R

  26. Honestamente eu nunca conheci alguém com autismo, mas já li sobre este tema.Mas independentemente de nunca ter convivido com alguém que seja autista, eu penso que são crianças normais como qualquer outra criança, mas sim com uma condição cotidiana quer seja nas rotinas bem como emocionalmente que exige um acompanhamento diferente.
    A começar pela familia, que é o mais importante na vida de qualquer criança, os pais tem de ser os primeiros a garantir a segurança e estabilidade emocional que esta criança vai precisar, e a seguir garantir que todos em casa saibam lidar com este assunto sempre a pensar no bem estar da criança.E a seguir tem que haver o acompanhamento com os especialistas, que é de fundamental importancia.
    O mais importante é a familia estar consciente que tem que se adaptar as situações, e se temos uma criança autista , a nossa atenção vai ter de ser a dobrar ou mais.Os nossos filhos tem de ter acesso ao desenvolvimento em todos os campos, fisico,afetivo, social.E no dia a dia temos de estar preparados para os proteger,seja dos perigos fisicos ou até mesmo da maldade de algumas pessoas.Temos de escolher bem os ambientes que nossos filhos frequentam, e com uma criança autista é o mesmo.Fico triste que existam pessoas que tranquem seus filhos em casa pois encarem o autismo como uma doença.Não é .Uma criança autista tem o direito de conhecer o mundo, mas é claro que nesta parte os pais tem de ser ainda mais presentes.Mas que nunca encarem isso como uma obrigação, tem de fazer por amor, tem de sentir esta necessidade de fazer mais e mais pelos filhos.E falo de educação, afeto,presença.Enfim, tudo que é preciso para que eles cresçam e se tornem boas pessoas, bons cidadãos.E uma criança autista tem esse mesmo direito.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s