Fórum mês setembro

No tema do mês de setembro, proponho uma reflexão sobre a educação…

 

“Antes que uma criança perca sua cor ou se notarmos que ela a está perdendo, os adultos têm a responsabilidade de iluminar a vida dela e de dar cor ao seu olhar.”

Reflita sobre o assunto e se desejar recorra a exemplos de situações concretas para ilustrar a sua opinião.

Esta atividade de Fórum permite debater e abordar novas ideias, visa o desenvolvimento e a discussão de temas atuais, relacionados com os temas propostos nas Unidades, no âmbito da formação.

Participe e desenvolva, no seu ponto de vista, o tema exposto a debate. Se desejar, apresente exemplos representativos do que pretende ilustrar. Pode ainda comentar as participações dos colegas.

O post de cada formando não deve exceder a pág. A4 e deve ser submetido até ao final da semana. A sua participação conta  20% para a avaliação da Unidade.

Para participar basta clicar em INSERIR COMENTÁRIO, não esquecendo de indicar o seu nome e curso para que o seu contributo seja avaliado. Os vossos comentários serão primeiro sujeitos à aprovação do professor pelo que podem não ficar imediatamente disponíveis.

Aguardo as vossas participações com expectativa, o vosso contributo é muito importante para o sucesso deste fórum!

Anúncios

24 thoughts on “Fórum mês setembro

  1. Concordo, nós adultos devemos ter a sensibilidade de perceber quando uma criança começa a ficar triste.Acho que a nossa atitude deve ser tentar falar com ela e entender o motivo da sua tristeza e com ela arranjar uma solução para o problema.Hoje na escola onde sou auxiliar de infância durante uma actividade que se chama “Andar sobre Rodas” Onde as crianças andam de bicicletas,patins e triciclos.Precebi que uma menina estava triste sem querer participar na actividade,fui ter com ela sentei-a ao meu colo e com muito carinho ela contou me que tinha medo de andar de bicicleta porque já tinha caído,fui andar com ela e ajudei-a .E no fim recibi um grande sorriso é um abraço.(Jéssica Batista, curso auxiliar de infância).

  2. Cláudia Correia , EL7165S

    Educar uma criança na atualidade é algo muito complicado.
    Não eduques as crianças nas várias disciplinas recorrendo à força, mas como se fosse um jogo, para que também possas observar melhor qual a disposição natural de cada um. Uma criança deve ser criada com a maior atenção que percisa, sempre que uma criança pedir para os pais brincarem não neguem, nunca se sabe o dia de amanhã emquanto poder de a sua atenção tuda a seu filho para que as crianças crecham e tenham orgulho dos seus pais e aproveitem ate ao ultimo minuto.

  3. Erika costa Puericultura EL6139P.
    Cada ano cada mês que passa a sociedade fica mais acelerada e esquece que as criança tem um ritimo diferente e diferentes noções e muitos pensam que elas tem que se desenrascar tem que ser ,e a palavra que mais ouso muito triste pois são apenas crianças e dão valor e são honestos e mínimas coisa ,Eu como mãe e por trabalhar com criança vejo a carência de muitas dela com falta de diversão ,tento uma rotina de trabalho tão grande que gere entorno dos pais ,pais exausto sem poder dar atenção e carinho ,pois ainda tenho que fazer isso ou aquilo ,crianças em casa a computadores ,tablets etc ,Eu deixei minha profissão para cuidar do meu filho ,pois ele ira crescer e lembrará dos nosso momentos felizes e com muito carinho e atenção .

  4. Nós temos actualmente uma sociedade que trabalha apenas para pagar as contas, actualmente ter filhos ou melhor educar filhos em Portugal esta bastante complicado no sentido que os pais trabalham noite e dia para o melhor para eles e para quê par depois não os verem crescer, e infelizmente quem mais sente essa situação acaba por ser a criança, a nossa criança que o que mais precisa é de atenção, amor, carinho, e brincadeira… nesse sentido e não culpo os pais pois tem de trabalha mas atenção as mesmas não tem e depois temos o caso que os mesmas se entreterem em casa com Tablets e se por ventura não tem supervisão dos pais ou alguém adulto andam a ver ou a fazer coisas que não devem ás quais as mesmas não tem noção do perigo. De hoje para amanha não sabemos o nosso dia mas se possível passe bastante tempo com o seu filho aproveite até ao ultimo minuto como se fosse o ultimo pois eles merecem e precisam e muito da nossa atenção.

    Marlene Ferreira Santana EL7325S.
    Curso de Educadora de Infância e Puericultura.

  5. È realmente algo que acontece na nossa sociedade. È triste, não conseguir acompanhar o crescimento dos nossos filhos, na maioria das vezes por motivos profissionais. Toda a criança precisa de sentir realizada, e por mais ocupados que podemos estar, devemos dar essa importância as crianças. Elas crescem e nós nem damos por isso. Devemos ajudar a criança a fazer o que mais gosta, e dar todo o nosso apoio, participar mais na sua experiência escolar, em convívios e festas escolares e mesmo a nível pessoal, certos interesses que a crianças tenha não devemos deixar para trás. Para elas todo o carinho e compreensão é bem vindo. E o melhor resultado que poderíamos ter é aquele sorriso com que elas nos brindam todos os dias. Aproveitem as nossas crianças, porque é o melhor de nós, sem duvida!

    Cátia Cancelinha
    Educação Infantil
    EL7393S

  6. tania
    Educação Infantil
    EL7072S

    A crecheé um contexto educativo indispensável para as crianças e familias de hoje.Muitos referem-se a esta valencia,como sendo um mal necessário,na medida em que a criança tem que permanecer longe da mae e partilhar o espaço com as outras crianças.
    O educador de infancia possui uma caracteristica que o tornem unico e insubstituivel,considerando-se assim uma peça principal deste puzzle,que é a educação na creche.
    Desta forma o educador tem um papel decisivo no apoio ao desenvolvimento na criança quer em termos de desenvolvimento actual,quer potencial,bem como na orgsnização do ambiente educativo,no fomentar interacções positivas na equipa,na criação de momentos de aprendizagem e no fortalecimento das relações com os pais.
    A creche é um espaço onde se devem priviligiar os contatos físicos,os afetos, as ligações sinceras e constantes adulto-criança,que estabelecem segurança e conforto.Segundo Gabriela Portugal…os espaços devem reflectir os diferentes ritmos de desenvolvimento individual…e os interesses e capacidades das crianças.

  7. A educação é tão antiga como a própria Humanidade, parecendo constituir um dos primeiros sustentáculos da própria sobrevivência do Homem. Através da educação, pretende-se que o ser humano se adapte ao meio/ambiente, criando condições para a aquisição e desenvolvimento de conhecimentos, valores e atitudes favoráveis a essa adaptação.

    Para se fazer uma eficaz análise à situação actual da educação em Portugal, é necessário atender a três vectores: os pais, a sociedade e a escola.

    Cada vez mais, os pais delegam quase integralmente na escola a educação dos filhos, limitando a sua acção educativa a castigos por maus comportamentos. A forma como grande parte dos pais portugueses educam os filhos incentiva nestes a falta de auto-confiança, a falta de iniciativa e de responsabilidade.

    Deve reconhecer-se que o problema actual da educação das crianças e dos jovens é um problema de toda a sociedade e de cada adulto.

    Temos todos uma responsabilidade com as gerações futuras. Compete-nos preparar os jovens para a vida adulta, preparando-lhes um tipo de sociedade onde seja possível viver.

    Durante muito tempo, a escola foi vista como única fonte de saber, capaz de assegurar prestígio e posição social. Hoje, embora continue a ter um papel importante, ela já não tem o “monopólio” do saber exclusivo, ou seja, actualmente há já muitas outras fontes de informação igualmente credíveis. Nestas novas fontes de informação estão incluídas as novas tecnologias que são excelentes meios para a construção do conhecimento.

    A escola já não deve ser encarada como um espaço fechado e triste, mas sim como um lugar de prazer e de aprendizagem. Para tal, o contributo do professor é fundamental. O papel deste não se deve resumir à transmissão de teorias muitas vezes já em desuso mas em estar aberto à imprevisibilidade e às constantes mutações socioculturais. O papel do professor não poderá limitar-se a uma comunicação unilateral entre este e os seus alunos. Este papel terá de ser activo e criativo, de forma a que a educação decorra numa acção cooperativa e onde haja espaço para a criatividade de alunos e professores.

    Naturalmente que há sempre quem pense que o uso dos audiovisuais e dos media no acto educativo poderá pôr em risco o papel do professor como detentor ou transmissor do conhecimento. É óbvio que tal não acontece, mas também será óbvio que à crescente importância dos media no processo de ensino-aprendizagem se impõe uma redefinição do papel do professor e da estratégia que deve adoptar junto dos alunos.

    Na verdade, se uma verdadeira integração dos meios audiovisuais no ensino é indispensável na escola, ela deve ser o resultado de uma perfeita tomada de consciência do papel que estes meios devem desempenhar no seio do processo pedagógico, sem ultrapassar nem reduzir o papel do professor.

    Assim sendo, os audiovisuais deverão contribuir para uma modificação do papel do professor, pois este já não é o único responsável pela transmissão da matéria aos alunos. O educador deve ver o aluno já não como um auditor que deve transcrever e memorizar as mensagens, mas sim como um aprendiz que, utilizando todos os meios disponíveis, contribui para a sua própria aprendizagem.

    O professor tem como papel principal criar e estimular o ambiente educativo. Neste novo perfil de escola, o ensino tem de se processar ao nível da coordenação e acompanhamento, das informações (conteúdos) devendo fornecer os contextos e o conhecimento base que promova uma verdadeira autonomia. Neste sentido, deve, igualmente, haver uma preocupação em colocar os alunos face a problemas que exijam experimentação. Contudo, muitos professores desconhecedores desta realidade ignoram estas inovações, provavelmente por não as conhecerem e não as dominarem. Hesita-se em alterar as estruturas existentes há muito tempo, simplesmente porque as inovações exigem uma formação, uma preparação e uma organização suplementares.

    Por outro lado, existe o problema financeiro, pois, nalguns casos, evita-se o uso de novos métodos de ensino dado que o dinheiro já é pouco para fazer funcionar convenientemente os sistemas existentes. Mas não dar importância aos audiovisuais pode originar consequências graves, principalmente nos níveis etários mais baixos. Acima de tudo deve existir um espirito critico por parte de todos os intervenientes no processo educativo.

    O formador tem, assim, de integrar na sala de aula meios que facilitem a comunicação. Os progressos no domínio da comunicação têm sido óptimos. Os novos meios de informação permitem a troca de informação, independentemente da distância, com toda a precisão e rapidez. O processo de ensino tem necessidade de uma ligação constante com o mundo exterior. Neste domínio, a evolução tecnológica pôs à disposição do professor meios suficientes para trazer até ao aluno um mundo até há bem pouco tempo distante.

    A técnica passou a ser aceite por muitos como a solução para os problemas existentes no ensino, sendo importante de modo a conseguir-se um sistema educativo eficiente apoiado em instrumentos que respondam às exigências da época. Contudo, os meios tecnológicos não valem por si mesmos. A sua utilidade depende da metodologia com que são usados. Não são apenas os meios que contam, mas sim a forma de desapropriamento desses meios para criar uma situação educativa. A integração destes meios facilita a comunicação, facultando um precioso auxílio tanto ao nível do ensino como ao nível da aprendizagem.

  8. Hoje em dia,nós adultos temos uma rotina marcada com horários para tudo,e as crianças acabam entrando na rotina junto,é ai que os pais deixam de observar os sentimentos,deixam muitas vezes de dar a atenção que eles precisam,os pais também passam a trata-los como um adulto,esquecem que é uma criança e que eles precisam de uma atenção especial,e com tudo isso a criança deixa de brincar,e passa a ficar só na televisão,telemóvel,computadores,quando os pais de dão conta ja passou a fase de ser criança .

  9. Esta curta metragem demonstra bem como a vida das pessoas cada vez mais tem tendência a cair na rotina e andam diariamente desanimadas e com maior parte do tempo ocupado com os seus trabalhos e responsabilidades de maneira a assegurar a sustentabilidade da família. Mas não só isso é o mais importante.. Os pais levam muito a vida a correr e chegam ao final do dia tão exaustos que não reparam nas pequenas coisas que essas sim fazem muita diferença..que são os seus filhos. Por mais difícil e exaustivo que seja , os nossos filhos deveriam ser as pessoas mais importantes da nossa vida. E se eles não estiverem bem nós também não iremos estar concerteza. Os nosso filhos são seres pequenos com muita imaginação, com uma noção da vida e da realidade ainda muito inocente. Para eles nós somos o centro do seu mundo, as pessoas mais importantes das suas vidas . Por isso temos que mostrar-lhes que estamos à altura e tentar dar-lhes uma visão do mundo mais colorida e aproveitarmos todo o tempo disponível que temos para lhes demonstrar o quanto gostamos deles e nos preocupamos com eles. O tempo que gastamos com os nossos filhos nunca irá ser tempo perdido. Uma criança desmotiva-se com muita facilidade face às vicissitudes da vida, e nós temos que estar presentes e sempre atentos para quando isso acontece termos sempre uma palavra de coragem ou um bom conselho para lhes darmos ânimo e ajudar-lhes a ultrapassar as dificuldades , ou mesmo um carinho, um abraço por vezes é o suficiente. E o mais importante de tudo é nunca tentar mudar a maneira de ser e de ver as coisas dos nossos filhos. Dar liberdade à sua imaginação e incentivar-lhes a sonhar para um dia quando criarem asas e voarem saberem que vão ter ali sempre juntos dos seus pais um porto seguro para voltarem sempre que precisarem.
    Raquel Monteiro , Curso Puericultura , EL6786R

  10. Os comentários dos meus colegas são tudo verdade, na educação de um filho hoje não é fácil.
    Saber educar é muito importante PAIS e também aparte dos Educadores creches ou escola, mas as crianças passam ais tempo na creche, escola do que os PAIS.Os pais hoje em dia têem um emprego e ter o cuidado de levar a criança
    e no fim do dia de trabalho ir buscar novamente a criança. Mas no meio de isto tudo não tem converso com o filho perguntar como correu o dia ao filho ou porquê que está triste se passou alguma coisa na escola, não dão valor próprio filho. Isto tudo repleta-se na criança, saber estimular a criança o auto estima, tudo isto conta muito nos dois sentidos PAIS e FILHOS.
    Nós pais temos que estarmos atentos a todos os passos da criança pela vida fora até adultos.
    Tenho um exemplo da minha filha que tinha um problema e só descobrimos só aos dois anos de idade. Quando nasceu era muito saudável e aos 11 meses teve a primeira convulsão e depois durante os anos voltou a ter mais convulsões, quando chegou aos dois anos fomos ver o que se passava com ela e era surda e muda teve que ser logo operada de urgência e começar com linguagem gestual no particular para começar a falar e ouvir bem mas tudo acabou em bem.

  11. Maria João Furtado
    Curso Puericultura
    EL6923R

    Infelizmente estamos a viver em uma sociedade cheia de stress e pressas, e muitas vezes não nos damos conta do que se esta a passar em nosso redor. Os nossos postos de trabalho exigem cada vez mais de nos, chegamos a casa temos os trabalhos domésticos, mas temos de nos abstrair um pouco pelas nossas crianças, ainda ontem estava a limpar a casa quando meu filho de dois anos e meio veio me buscar pela mão para ir para o sofá com ele queria que eu desenhasse para ele. Sabia que aquele momento ia fazer com que me atrasasse em todo o meu plagenamento do dia mas como mãe como poderia deixar meu filho sozinho se ele queria era atenção e companhia. Quando tomamos essa decisão tão importante de sermos pais ou educadores, temos de ter consciência do que nos espera e que estamos a criar futuros adultos e nada como crescer no ambiente de alegria e dedicação.

  12. Aluna: Inês Machado
    Curso: Educação Infantil
    Número de utilizador: EL7679T

    Tema : Educação

    O “educador deverá propiciar situações, brincadeiras e aprendizagens orientadas de forma integrada e que contribua para o desenvolvimento das capacidades infantis de relação interpessoal, de ser e estar com os outros em uma atitude básica de aceitação, respeito e confiança, e o acesso, pelas crianças, aos conhecimentos da realidade social e cultural.
    Neste processo, a educação poderá auxiliar o desenvolvimento das capacidades de apropriação e conhecimentos das potencialidades corporais, afetivas,emocionais, estéticas e ética, na perspectiva de contribuir para a formação de crianças felizes e saudáveis. A educação segue rumo a novos caminhos que vão além da vontade de seguir um caminho novo. Ela tem se proposto a possibilitar ao educador conhecer-se como pessoa,saber de suas possibilidades e limitações, desbloquear suas resistências .A criança é um ser social que nasce com capacidades afetivas, emocionais e cognitivas. Tem desejo de estar próxima “as pessoas e é capaz de interagir e aprender com elas de forma que possa compreender e influenciar seu ambiente. Ampliando suas relações sociais, interações e formas de comunicação, as crianças sentem-se cada vez mais seguras para se expressar,podendo aprender nas trocas sociais, com diferentes crianças e adultos cujas percepções e compreensões da realidade também são diversas.Para se desenvolver, as crianças precisam aprender com os outros com os vínculos que estabelecem. Se as aprendizagens acontecem na interação com as outras pessoas, sejam elas, adultos ou crianças, elas também dependem dos recursos de cada criança.
    Partindo do princípio de que a criança aprende a brincar ,a educação infantil deve privilegiar o tempo e o espaço para que a aprendizagem aconteça, não esquecendo que as brincadeiras

  13. Educação, é educar! E o que é educar?

    Eu concordo com o que já foi dito, mas quando se fala de educação nem sempre se está em sintonia. O que para mim é educar pode não ser para vós.
    Nós quando nascemos não trazemos “nada”, somos “selvagens” aos poucos vamos adquirir àquilo que os nossos pais nos transmitem.
    Nem todas as crianças aceitam o não…. Nem todos podem ser educados na mesma maneira.
    Educar um filho não é fácil, o meu filho tem 2anos e meio é uma criança com uma personalidade muito vincada e todas as tarefas que lhe são impostas tem sempre de ser discutidas, no entanto se eu pedir que faça determinada tarefa, faz com satisfação.

    Em relação a curta metragem também se enquadra no autismo. Pode retirar se várias SMS, a do afeto, a importância dos estudos por parte do pai , o stress profissional, a falta de diálogo mas também as SMS dos desenhos da criança.

    Ana Marques
    Curso puericultura
    EL744S0

  14. Deisy Jardim
    Curso de educação infantil
    EL7730T

    Primeiramente o maior erro da sociedade, pais ou educandos é realmente esquecerem-se que também foram crianças, esquecerem-se que para se ser uma criança feliz o necessário é básico e simples. A felicidade das crianças passa pelo exemplo de quem as educa e feliz ou infelizmente vivemos numa sociedade que exige um percurso educativo intenso com o objetivo de carreira e sucesso.
    No percurso educativo e de sua vida existem várias carências quer a nível familiar quer a nível escolar, sendo que é da nossa responsabilidade não esquecer que eles são crianças e que quer se seja professor ou pai têm de ser utilizados todos os métodos corretos para um desenvolvimento saudável e feliz.
    Ter o prazer de educar, ser paciente, ensinar brincando, compreender suas necessidades e carências, tornar a educação divertida e motivante, mostrar que o futuro é importante complementando com uma estabilidade emocional familiar.
    No ano de 2014 Portugal foi indicado como um dos Países com maior insucesso escolar, cerca de 11 mil crianças reprovaram no 2º ano. Um grupo de empresários EPIS (empresários para inclusão social) investigou e decidiu abrir um programa de apoio e ajuda aos alunos, onde um dos métodos utilizados era a estimulação das capacidades cognitivas bem como o acompanhamento para um equilíbrio afetivo e emocional.
    O programa prova que ao investir mais nos primeiros anos de ensino da criança seja escolar ou familiar projetam-na para um futuro de excelência a todos os níveis.
    Devemos educar crianças felizes para que amanhã sejam educadores brilhantes, essa é a nossa responsabilidade.

  15. EL6100P_Educação Infantil
    Gostei muito do vídeo, óptima ilustração. Mostra realmente, como os adultos têm que ter mais atenção às necessidades de cada criança, principalmente os pais. Para tudo tem um equilíbrio pelo que temos que ter cuidado, quando vamos exigir muito de uma criança, pois elas também têm gostos, vontades… Com isto, eu não quero dizer que ela tenha que ser mal educada ou desenvolver uma criança mimada, até porque mesmo as crianças, por vezes, têm problemas e cabe a nós adultos, ajudá-la, procurando uma solução para resolver o problema. Um bom exemplo disso, é como mostra esta ilustração, pois no início, o pai não percebia que a filha só queria ver o violista tocar ou seja, a menina tinha uma necessidade e mostrava-a fazendo desenhos, ao que o pai não atendia, razão pelo que fez esta perder a cor. Como é óbvio, um pai ou uma mãe não gostam de ver um filho triste e, certamente farão de tudo para que a criança volte a sorrir e a ter um brilho no olhar. E foi o que este pai que era responsável realmente fez, quando finalmente percebeu esta necessidade da criança, foram ambos ver o violista, porém, este já não estava lá, pelo que o pai procurou uma estratégia, fazendo como uma “imitação” do músico para que a filha voltasse a sorrir e a ter cor. Concerteza, uma bela demonstração de amor que este pai sentia pela sua filha. Por vezes, o trabalho pode esgotar o adulto, mas nada melhor que uma criança para “recarregar a nossas baterias” pois, elas têm aquela energia contagiante. 🙂

  16. O início da vida escolar atualmente se dá por volta de dois (02) a três (03) anos de idade, fases
    em que a comunicação e expressão de sentimentos ocorrem pelo não domínio de linguagem; a criança se
    utiliza dos meios físicos como: bater, puxar cabelo e empurrar. É necessária então, a mediação do adulto
    ensinando outros meios para a resolução dos problemas, isto é, transformar atitude corporal em linguagem.
    Para Delors (1998, p. 111)
    Um diálogo verdadeiro entre pais e professores é indispensável, porque o desenvolvimento harmonioso
    das crianças implica uma complementaridade entre educação escolar e educação familiar. Nessa
    passagem da comunicação corporal para oral s enfatiza a importância do dialogo como precursor
    essencial tanto na família como na escola.
    Na fase inicial também se dá a passagem do concreto para o abstrato, em que a criança aprende
    brincando. O brincar é uma forma de comunicação e reprodução do cotidiano; a criança explora, imagina e
    constrói, dando significados ao concreto. Através do brincar cria soluções e imita expressões, aprendendo a
    respeitar o outro, ouvir e ser ouvido. A criança que brinca está mais preparada para controlar suas emoções
    e atitudes por meio das regras do brincar.
    Apesar das dificuldades, a educação, tanto na escola quanto na família, não poderá ser insensível
    ao significado do brincar na aprendizagem. Neste contexto, Chalita (2001, p. 120) enfatiza que: a
    responsabilidade de educar não é apenas da escola, é de toda a sociedade, a começar pela família.
    Outra questão importante a ser enfatizada no início da vida escolar da criança é o
    desenvolvimento da autonomia e independência. Processo pelo qual se oportuniza a liberdade com o
    acompanhamento progressivo, cuidar e não fazer pela criança. Propor atividades em que haja descobertas
    e experiências que promovam o aprendizado. Deixar crescer sem superproteção, acompanhar sem segurar.
    Para o autor (ob., loc. cit.), a família é a principal responsável por formar o caráter, de educar para os
    desafios da vida, de perpetuar valores éticos e morais. Mas devemos ressaltar que não é o único, existem

  17. EL7631T – Educação Infantil

    Hoje em dia a maioria dos pais tem os seus horários de trabalho de 8 a 10 horas por dia, os fim de semanas ou são também para o trabalho e/ou com os telemóveis e tablets nas mãos, e os filhos acham que isso é normal e pegam como exemplo. As crianças da atualidade se esquecem de como é bom correr, pular, dançar, cantar e entre outras tantas brincadeiras, justamente por que a tecnologia está a crescer cada vez mais e assim ” facilitando” a vida dos pais. Devemos fazer com que cresça a vontade de viajar, de conhecer novas histórias aprender com elas. De ter um animal de estimação, brincar e caminhar com eles. E até mesmo de apenas parar e admirar uma bela paisagem.
    Tenho até um caso na minha família, em que pais para não se “cansarem” de ouvir a filha a enchem de brinquedos para que ela não os chamam, mais infelizmente nunca os vejo brincar com ela, a dar a atenção que uma criança de 5 anos precisa, ainda mais nessa idade que está captando cada detalhe a sua volta. Sempre tento conversar com ela, para que talvez não se sinta tão solitária nesse mundo cheio de bens materiais e nada de carinho e amor.
    É triste realidade, mais que possamos passar para quem estiver ao nosso alcance o quanto é importante viver bem, com muitos ensinamentos, carinhos e amor!

  18. Hoje em dia não é facil educar, os pais não têm tempo para os filhos. A vida profissional ocupa muito tempo e o pouco tempo que têm, os pais fazem as vontades todas para as crianças se sentirem calmas, acabam por nem se aperceber do erro que estão a cometer.
    Educar é, contar histórias e transformar a vida na brincadeira mais seria da sociedade. A principal meta da educação é criar homens que sejam capazes de fazer coisas novas, não simplesmente repetir a que outras gerações já fizeram. Homens que sejam criadores, inventores, descobridores. A segunda meta da educação é formar mentes que estejam em condições de criticar, verificar e não aceitar tudo que a eles se propõe.

    Cristina Marvanejo, Educação Infantil

  19. Nome: Andreia Martins
    Curso: Educação Infantil

    REFLEXÃO SOBRE A EDUCAÇÃO…

    Neste tema podemos nós questionar inicialmente em base nas seguintes perguntas:

    – Qual é a verdadeira razão pela qual educamos as crianças?
    – Por que motivo é que elas têm de ser educadas?
    – Por que razão elas têm de ir a escola?

    Pois muito bem, são realmente questões que podem ganhar diversas contornos de respostas pois devemos reflectir bem sobre a importância que damos e que e que colocamos a escola na vida das crianças.
    Estas questões tem somente um único objectivo em comum,ou seja, o Futuro destas crianças!

    A escola para as crianças é a segunda casa, pois nela aprender tudo de bom e de mau, descobrem novas culturas, novos hábitos, novas línguas, novas coisas e convivem com diversas crianças o dia todo. Acabando por se tornar o espaço mais importante para a sua constituição como pessoa e como ser humano.

    Mas dependendo do que nós adultos entendemos como vida, o seu sentido, ou seja, o sentido que lhe damos, e o futuro que esperamos, podemos mesmo chegar a passar às crianças uma ideia errada e equivocada de como a escola pode ser o seu grande futuro, numa vida de progressos e de como ela é importante para o nosso conhecimento como pessoa.

    Podemos ver a escola como um lugar onde podemos recuperar um pouco os nossos sonhos, não necessitamos necessariamente de indicar ás crianças que elas precisam de ir a escola para conseguirem progredir no futuro, conseguirem um emprego e ganhar a vida, pois isso é contraditório com a ideia de dar um novo sentido à Vida.

    Assim sendo é essencial considerarmos que é preciso dar sentido à Vida para que as crianças, que elas compreendam que estamos cá para as apoiar sempre que estas necessitarem.

    Para que possam se realizar e construir um mundo cada vez melhor, precisamos de mudar assim a nossa postura e ajudar as crianças a entenderem o verdadeiro sentido da VIDA!

  20. NOME : ANA CARVALHO

    CURSO: EDUCAÇAO INFANTIL

    EL7501T

    REFLEXAO SOBRE EDUCAÇÃO

    Educar uma pessoa na atualidade é algo muito complicado. O educar de antigamente não é o mesmo de hoje em dia, pois os interesses e principalmente os meios de comunicação enfatizam outras coisas mais importantes do que se ter educação. Na verdade, ter educação é ser inserido na sociedade de uma maneira pré-definida, onde não sejam feridos alguns princípios, valores e concepções. Tais princípios são trazidos de outrora, claramente definidos como de interesse para uma organização social. Não se pode, de maneira alguma fugir disso, fazendo de conta que a escola não possui esse papel de inserção social. Ela possui sim esse papel, de encaminhar as pessoas à vida e à convivência social, de uma maneira adequada ao sistema.
    Educar perpassa por várias linhas, nem sempre visíveis, porém ficam para sempre incutidas naquele que está ali apreendendo. Por isso, a responsabilidade clara que o professor tem em ajudar o aluno nesse processo de inserção , até pode-se dizer como sendo uma adaptação necessária à sobrevivência. Nosso papel permeia algo muito holístico, além daquilo que vemos, além daquilo que podemos tocar. Precisamos sentir o presente para que se possa ter um futuro mais completo como seres humanos, em sua plenitude como meio ambiente integrante e não somente como metros quadrados de espaço de vida.

  21. Enquanto adultos, temos o dever de as educar e acompanhar a cada passo que dão, pois o nosso papel é fundamental na educação das crianças. Temos de ter a sensibilidade de perceber quando uma criança está triste ou mais isolada do que o normal.
    Tanto as crianças como os adultos devem ser ativos, interactivos e cooperantes no decorrer do dia o que é o motor do ensino e da aprendizagem. Quando nos deparamos com a criança num estado de espírito diferente do que é normal, devemos falar com ela, tentar perceber o que se passa e arranjar uma solução, sendo que muitas vezes as crianças apenas querem um pouco de atenção, pois acabam por ficar para trás devido ao facto de hoje em dia, a sociedade estar muito acelarada, ter horas marcadas para tudo e as crianças não conseguirem acompanhar esse ritmo.
    Cátia Morais
    EL7457S
    Curso de Educação Infantil

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s